Skip to content

Histórico

A Associação dos Gerentes da Caixa Econômica Federal - PB é uma entidade de espírito democrático, criada com o objetivo de agregar forças em defesa dos interesses da sociedade, clientes, gerentes e da própria organização CAIXA enquanto patrimônio do povo brasileiro.

Em 1993 a CAIXA existia dentro de paradigmas muito diferentes dos atuais. O próprio momento político nacional, com a continuidade do processo de abertura democrática, apontava para um cenário de futuro que favorecia a criação e o fortalecimento de associações de classe, embora a criação da AGECEFPB tenha nascido de uma ação de vanguarda dos empregados da CAIXA na Paraíba.

A criação da Associação dos Gerente da Caixa Econômica Federal/PB foi a realização de um velho sonho dos gestores da CAIXA que desejavam estabelecer uma entidade capaz de se transformar num fórum de discussão dos assuntos de interesse da classe, da CAIXA, e ao mesmo tempo em um porta-voz dos gerentes em defesa de objetivos comuns à sociedade.

No dia 17 de Julho de 1993, reuniram-se em Campina Grande, 28 gerentes de agências da CAIXA na Paraíba e numa sessão histórica criaram a Associação dos Gerente da Caixa Econômica Federal/PB. Lá estavam: Ademar Cavalcanti, Aderbal Miranda, Alessandro Magno, Arildo Faraco, Arinaldo F. de Medeiros, Bento Alves, Carlos Dias, Carlos Máximo, Carlos Ronaldo, Carlos Roberto Mendes, Carlos Vieira, Evaneide Confessor, Geraldo Magela, Jean Câmara, José Alves Feitosa, José Carlos, José Carlos Dias , José Lúcio, José Maria F. Veras, José M. S. Filho (Marinho), Marcone Morais, Marcos Coelho, Miguel João de Sousa, Pedro Paulo, Ronildo Coelho, Rosenai de Oliveira, Salete Cavalcanti, Saul Lafayette e Sônia Espínola.

Desde a sua criação, a Associação dos Gerente da Caixa Econômica Federal/PB tem desempenhado importante papel na conquista de espaço político associativo, fornecendo subsídios à própria CAIXA para a realização de muitas mudanças implantadas na organização, o que contribuiu torná-la uma empresa moderna, assegurando ainda a sua sobrevivência para ser um instrumento eficaz em defesa da melhoria da qualidade de vida do povo brasileiro.